rss btntwitter btnfacebook btn

Educação e Patrimônio Cultural

Bandas D'Além

A pressa e a rotina dos caminhos acostumados velam o contorno das casas, o desenho dos canteiros, dos fios e das ruas, abreviam as conversas das gentes, embaçaam as marcas do tempo, da luz e da história. Na apreciação ligeira, diluem-se os sinais urbanos, os usos do espaço.

Há percursos de todo o dia, os de passeio ou de passagem, os de vez em quando.

Com a atenção aos saltos, demarcam-se territórios afetivos, trilhas obrigadas, travessas. Conhecemos a cidade aos pedaços. As distâncias são mais compridas nos cantos estranhos e curtas nas vias familiares que aproximam todas as esquinas.

Baixe o livro.

Paladino, Mariana; Czarny, Gabriela (orgs). Povos indígenas e escolarização. Discussões para se repensar novas epistemes nas sociedades latino-americanas.

Resumo:

Prólogo

A implicação disso é que precisamos de outra cultura para conhecer outra cultura. (Sahlins, História e cultura).

A mesa-redonda que deu origem ao presente livro foi uma interessante ocasião que ensejou muitas trocas e provocações para que se buscasse entender com maior profundidade o que cada autora apresentava e, por consequência, conhecer o contexto de trabalho que cada uma reportava em suas reflexões. O termo interculturalidade está presente em todos os títulos, embora não esteja presente no título mesmo da mesa, que chama a possibilidade de se pensar novas epistemes e evoca as práticas escolares e os conhecimentos indígenas. Essa referência comum nos vem apresentada a partir de situações e análises em três países da América Latina: México, Argentina e Brasil. Por si só, esse alinhamento de três países tão diferentes em sua história e em sua colocação no panorama latino-americano – e a importância singular de cada um – já chamava a atenção para a mesa. Podemos dizer que o tema de fundo é a escolarização – dos povos indígenas. E o tensionamento que atravessa as reflexões seria a prática ou a ideia do que seja a interculuralidade no âmbito das propostas de educação escolar indígena, como assinala a introdução curada por Mariana Paladino e Gabriela Czarny, organizadoras do volume...

Paladino, Mariana; Czarny, Gabriela (orgs). Povos indígenas e escolarização. Discussões para se repensar novas epistemes nas sociedades latino-americanas. Rio de Janeiro: Garamond editora, 2012.

Documento disponível:

http://bit.ly/2ylbeW9

Saberes da Construção

A terra é um material que vem sendo revalorizado em técnicas de construção contemporâneas. Buscam-se, com esse material natural e de baixo custo energético, soluções de moradia mais confortáveis, econômica e ecologicamente sustentáveis. Em vários países do mundo, inclusive no Brasil, há pesquisas sobre novas tecnologias com uso da terra, resgatando-se saberes tradicionais muito antigos.

Na zona rural fluminense, os saberes e técnicas artesanais de construção das casas em estuque ou pau-a-pique, feitas pelos antigos colonos da cafeicultura fluminense, desde o século XIX, estão, porém, aos poucos desaparecendo.

Esses conhecimentos sobre as terras, as madeiras, as estruturas, os encaixes eram, freqüentemente, aprendidos nos grupos de vizinhança, nas famílias, passados de pais para filhos, durante o fazer das casas, nos mutirões de trabalho e de festa. Hoje, essas técnicas são cada vez menos utilizadas, suas histórias muitas vezes esquecidas, seu fazer desconsiderado como um patrimônio cultural.

Baixe o livro.

O conteúdo deste site, vedado ao seu uso comercial, pode ser reproduzido desde que citada a fonte: Laboratório de Educação e Patrimônio Cultural - UFF